COMPRO MATERIAL DA FEB: JULIOZARY1997@GMAIL.COM

domingo, 24 de abril de 2011

2°. Encontro FEBiano - TESTEMUNHO DO HOLOCAUSTO - quinta 28 abr, as 17h



O presidente da ANVFEB, Tenente Dalvaro José de Oliveira, tem a honra
de convidar V.Exa. / V.Sa. para o 2°. Encontro FEBiano, com a palestra:

Testemunho do Holocausto
quinta-feira, 28 de abril, no auditório do Centro Cultural Casa da FEB
Rua das Marrecas 35 - 3°. andar - Lapa - RIO
Palestrante: Sr Aleksander Laks, Sobrevivente da 2ª Guerra Mundial

PROGRAMA:
16:00 h - Visita Guiada ao Museu
17:00 h - Palestra
17:45 h - Debates
18:15 h - Salão Nobre - 2°. andar.
Coquetel de Confraternização
Mini-Expo Memoria da Intolerancia

Mesa de livros, escudos, adesivos, peças para colecionadores.

Captação de doações para o Museu - documentos, peças originais da Campanha
da Itália e outras - preenchimento de propostas para novos Sócios Colaboradores
doações monetárias - cadastramento de voluntários.

Aleksander Laks
Uma Vida de Resistencia e Luta contra Racismo, Intolerância e Preconceito

Natural de Lodz na Polônia, Laks foi prisioneiro do Gueto durante quase
toda a II Guerra Mundial, executando trabalho escravo infantil. Em
agosto de 1944 com 17 anos foi deportado para o Campo de Extermínio de
Auschwitz, tendo sobrevivido milagrosamente até 27 de janeiro de 1945,
data em que o Campo foi libertado. Esta data foi designada pela ONU como
o Dia Mundial da Lembrança do Holocausto.

Imigrando para o Brasil após a guerra, naturalizou-se, aqui criando filhos e netos
e tornando-se Presidente da Associação Brasileira dos Sobreviventes do Holocausto
- Seção Rio de Janeiro,

Aos 82 anos, dedica-se a ministrar palestras em escolas, universidades e
instituições. Autor do livro "O Sobrevivente - Memórias de um Brasileiro que
Escapou de Auschwitz" editado pela Record em 2000, com várias re-edições
e prefaciado pelo Pe. Jesus Hortal Sanches, SJ, Reitor da PUC-RIO. O Sr Laks
costuma autografar o livro com a mensagem "Que o meu passado não seja
o futuro de ninguém".

Especialmente nos dias que correm, quando lamentavelmente retornam as
mesmas ameaças de fanatismo e intolerância, é fundamental manter viva a
memória do Holocausto. A pretexto de uma pseudoteoria racista que
discriminava minorias, pretendendo-as inferiores, foram exterminados
ignominiosamente milhões de seres humanos inocentes, entre judeus,
ciganos, deficientes físicos, homossexuais, doentes mentais, dissidentes
políticos.

A palestra enfatiza valores humanísticos e morais, mostrando a importância
da defesa dos direitos humanos, negação do preconceito, racismo e
intolerância, temas fundamentais para entidades vocacionadas para servir a
Sociedade, como é o caso das Forças Armadas em geral e da FEB em particular,
que lutou na Itália contra a ameaça nazista, revidando a agressão sofrida pelo
Brasil em 1942.

A palestra é uma mensagem de alerta e esperança em tempos melhores.

Sensibilizar a sociedade e seus formadores de opinião é imprescindivel
para que os tragicos acontecimentos vivenciados pelo Sr Laks jamais possam
se repetir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário