COMPRO MATERIAL DA FEB: JULIOZARY1997@GMAIL.COM

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

HÁ 50 ANOS....

Matéria do jornal O GLOBO sobre a declaração do General Cordeiro de Farias em relação ao preparo da FEB, com a devida resposta do General Mascarenhas de Moraes.



Mais uma vez agradecemos ao nosso amigo e colabrador Cesar Cerqueira.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

HÁ 50 ANOS....

Mais uma vez agradecemos ao nosso amigo e colaborador Cesar.

Clique na imagem para ampliar e ler a notícia inteira.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

QUANTIDADE DE MEDALHAS CONCEDIDAS AOS OFICIAIS ATÉ 1946

Como já foi dito aqui um tempo atrás, estamos envidando esforços em levantar maiores informações sobre as medalhas que conhecemos da FEB. Não há informações exatas de quantas foram distribuídas, quando, etc..

Estamos cada vez mais chegando perto do resultado final. Porém, não temos certeza de quando chegaremos lá....

Os dados apresentados a seguir foram extraídos do Alamanaque do Exército para o ano de 1946. O Almanaque é uma lista com todos os Oficiais da ativa, com suas respectivas condecorações, datas de promoções, data de praça e muitas outras. Até hoje este documento existe no Exército.

Para facilitar, subdividimos nas Armas (Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia, Intendência e Saúde). Generais também, apesar de não ser arma.*

Generais (4)

Medalha de Campanha: 2
Medalha de Guerra: 4
Cruz de Combate de 1ª Classe: 2
Legião do Mérito (EUA): 1
legião do Mérito - Grau Comandante (EUA): 1

Destes dados já podemos tirar duas hipóteses:
1ª - Nem todas as medalhas realmente recebidas foram lançadas no Almanaque.
2ª - Muitas medalhas não tinham sido distribuídas até o final de 1946
Conclusão: Apesar de ser verdadeira a 2ª, pois temos conhecimento de diplomas pós-1946, não acreditamos que justamente dois Generais da FEB não tenham recebido a Medalha de Campanha.

Infantaria



Coronéis (7)

Medalha de Campanha: 6
Medalha de Guerra: 4


Tenente-Coronéis (9)

Medalha de Campanha: 8
Medalha de Guerra: 5
Cruz de Combate de 1ª Classe: 1
Cruz de Combate de 2ª Classe: 1

Majores (42)

Medalha de Campanha: 40
Medalha de Guerra: 6
Cruz de Combate de 1ª Classe: 4
Cruz de Combate de 2ª Classe: 3

Capitães (130)

Medalha de Campanha: 115
Medalha de Guerra: 41
Cruz de Combate de 1ª Classe: 34
Cruz de Combate de 2ª Classe: 7
Bronze Star (EUA): 2
Croce al Valore Militare (Itália): 1

1º Tenentes (86)

Medalha de Campanha: 71
Cruz de Combate de 1ª Classe: 21
Cruz de Combate de 2ª Classe: 20

2º Tenentes (2)

Medalha de Campanha: 2

Infantaria total

Medalha de Campanha: 242
Medalha de Guerra: 56
Cruz de Combate de 1ª Classe: 60
Cruz de Combate de 2ª Classe: 31
Bronze Star (EUA): 2
Croce al Valore Militare (Itália): 1

Cavalaria



Coronéis (1)

Medalha de Campanha: 1
Medalha de Guerra: 1

Tenente-Coronéis (5)

Medalha de Campanha: 5
Medalha de Guerra: 2

Majores (5)

Medalha de Campanha: 5
Medalha de Guerra: 1
Croce al Valore Militare (Itália): 1

Capitães (13)

Medalha de Campanha: 13
Medalha de Guerra: 1
Cruz de Combate de 1ª Classe: 1
Croce al Valore Militare (Itália): 1

1º Tenentes (4)

Medalha de Campanha: 4

Cavalaria Total

Medalha de Campanha: 28
Medalha de Guerra: 5
Cruz de Combate de 1ª Classe: 1
Croce al Valore Militare (Itália): 2

Artilharia



Coronéis (4)

Medalha de Campanha: 4
Medalha de Guerra: 3

Tenente-Coronéis (12)

Medalha de Campanha: 11
Medalha de Guerra: 8
Croce al Valore Militare (Itália): 4
Medalha da Cruz Vermelha Alemã: 1

Majores (15)

Medalha de Campanha: 15
Medalha de Guerra: 7
Croce al Valore Militare (Itália): 2
Cruz de Guerra com Palma (França): 1

Capitães (81)

Medalha de Campanha: 81
Medalha de Guerra: 18
Cruz de Combate de 1ª Classe: 4
Cruz de Combate de 2ª Classe: 2
Croce al Valore Militare (Itália): 20

1º Tenentes (43)

Medalha de Campanha: 43
Cruz de Combate de 1ª Classe: 10
Cruz de Combate de 2ª Classe: 2
Croce al Valore Militare (Itália): 5

2º Tenentes (5)

Medalha de Campanha: 5

Total Artilharia

Medalha de Campanha: 156
Medalha de Guerra: 36
Cruz de Combate de 1ª Classe: 14
Cruz de Combate de 2ª Classe: 4
Croce al Valore Militare (Itália): 31
Cruz de Guerra com Palma (França): 1
Medalha da Cruz Vermelha Alemã: 1

Engenharia



Coronéis (1)

Medalha de Campanha: 1
Medalha de Guerra: 1
Croce al Valore Militare (Itália): 1

Tenente-Coronéis (2)

Medalha de Campanha: 1
Cruz de Guerra com Palma (França): 1

Majores (6)

Medalha de Campanha: 6
Medalha de Guerra: 2

Capitães (19)

Medalha de Campanha: 19
Medalha de Guerra: 5
Cruz de Combate de 1ª Classe: 4
Cruz de Combate de 2ª Classe: 5
Croce al Valore Militare (Itália): 1

1º Tenentes (18)

Medalha de Campanha: 18
Cruz de Combate de 1ª Classe: 5
Cruz de Combate de 2ª Classe: 2

Total Engenharia

Medalha de Campanha: 45
Medalha de Guerra: 8
Cruz de Combate de 1ª Classe: 9
Cruz de Combate de 2ª Classe: 7
Croce al Valore Militare (Itália): 2
Cruz de Guerra com Palma (França): 1

Intendência



Coronéis (2)

Medalha de Campanha: 2

Tenente-Coronéis (4)

Medalha de Campanha: 4
Ordem de Aviz: 1

Majores (3)

Medalha de Campanha: 3

Capitães (11)

Medalha de Campanha: 11
Medalha de Guerra: 2
Croce al Valore Militare (Itália): 9

1º Tenentes (23)

Medalha de Campanha: 23
Croce al Valore Militare (Itália): 2

2º Tenentes (1)

Medalha de Campanha: 1

Total Intendência

Medalha de Campanha: 34
Medalha de Guerra: 2
Croce al Valore Militare (Itália): 11
Ordem de Aviz: 1

Saúde



Coronéis (1)

Medalha de Campanha: 1
Legião do Mérito (EUA): 1

Tenente-Coronéis (4)

Medalha de Campanha: 4
Medalha de Guerra: 1
Croce al Valore Militare (Itália): 1

Majores (9)

Medalha de Campanha: 9
Croce al Valore Militare (Itália): 1

Capitães (31)

Medalha de Campanha: 31
Medalha de Guerra: 1
Cruz de Combate de 1ª Classe: 1

1º Tenentes (29)

Medalha de Campanha: 29
Cruz de Combate de 1ª Classe: 1

Total Saúde

Medalha de Campanha: 84
Medalha de Guerra: 2
Cruz de Combate de 1ª Classe: 2
Legião do Mérito (EUA): 1
Croce al Valore Militare (Itália): 2

TOTAIS FEB



Medalha de Campanha: 591
Medalha de Guerra: 113
Cruz de Combate de 1ª Classe: 88
Cruz de Combate de 2ª Classe: 42
Legião do Mérito (EUA): 2
legião do Mérito - Grau Comandante (EUA): 1
Bronze Star (EUA): 2
Croce al Valore Militare (Itália): 49
Ordem de Aviz: 1
Cruz de Guerra com Palma (França): 1





* Estas eram as armas existentes no Exército em 1946.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

EM DIREÇÃO A MONTESE

Dando continuidade às fotos das visitas feitas recentemente ao Teatro de Operações, caimos novamente na estrada em direção a Montese, localidade que não fica muito distante de Gaggio Montano (de carro, é claro).

Ainda bem próximo ao Monte Castello, encontramos a localidade de La Serra, palco de sangrentos combates entre tropas do Regimento Sampaio e os alemães, que estavam contra-atacando para a retomada do Castello. Inclusive um dos pelotões que estavam ali era o do Tenente Moysés Chahon, do qual mostramos uma túnica aqui um tempo atrás.



A pacata localidade de La Serra (pacata hoje, mas em 1945......)



Vista de Monte Castello a partir de La Serra



Interior de La Serra



Tomando a estrada, chegamos na localidade de Abetaia, onde houve um ataque diversionário de um Batalhão do 11º RI.



Localidade de Abetaia hoje em dia



Vista do Monte Castello a partir de Abetaia



Pegando a estrada para Montese



Chegando na localidade



Foto dos Pontos Cotados que circundam Montese





Agora já observado a localidade



Um dos monumentos de Montese



Castelo de Montese



Interior de Montese hoje em dia

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

BARBUDOS, SUJOS E FATIGADOS



Sinopse do nosso amigo Douglas S. Aguiar Jr

"Eu me sinto relativamente confortável em dar meu pitaco, pois já devorei boa parte do livro. Comecei na livraria, ao folheá-lo e me dar conta de já ter lido quase dez páginas – e isso abrindo o livro aleatoriamente em qualquer página. Logo, foi impossível não o comprar. Levei-o para casa no sábado e, sem exagero, já li mais de cem páginas nos dois dias que tive mais tempo para me dedicar a ele. Colocado de modo simples, é impossível colocá-lo de volta na mesa após iniciar a leitura.

Mas, não se iludam. Não se trata de um livro daqueles que se lê enquanto estamos fazendo hora no banheiro ou que gostamos de presentear o sogro, algo leviano como um “Almanaque da FEB - Curiosidades da Campanha na Itália” (argh!). Trata-se de uma obra séria, calcada em pesquisas em diversas fontes: outros livros, teses, relatórios oficiais, materiais de época e, principalmente, inúmeras entrevistas conduzidas com veteranos ao longo de quase 20 anos.

O resultado é um texto coeso, objetivo, claro e muito aprazível de se ler. A meu ver, o autor chegou a um estilo muito próximo ao que Anthony Beevor desenvolveu nas suas obras sobre as batalhas de Stalingrado e Berlim ou as obras de Stephen Ambrose – comparações que dizem muito sobre a narrativa. Além disso, para nossa felicidade (e dos pracinhas que ele retrata) temos entre nós alguém que conseguiu tirar a FEB dos extremos ideológicos do ufanismo reacionário constrangedor e da execração esquerdopata para que tivesse sua história contada pelos seus protagonistas, ainda que indiretamente. Um desafio que ele assume de antemão, nas primeiras páginas, e que cumpre integralmente.

Nesse ponto, eu chamo a atenção de todos para a parte introdutória do livro, onde o autor, como é praxe, delimita a proposta da obra. Ali, nosso colega César vai além, aproveitando para desmistificar e desconstruir alguns mitos que se perpetuam no imaginário coletivo sobre nossa participação na II Guerra Mundial, nossos aliados e inimigos. Adota a postura acadêmica que julgo arrojada, contemporânea e honesta, focada na investigação histórica e não na exploração ideológica da FEB (desculpem reiterar esse ponto, mas é algo realmente digno de ser destacado após seis décadas de manipulação).

O autor dá, ainda, a devida atenção ao contexto da campanha italiana dentro do conflito, aos nossos aliados e aos nossos inimigos (em uma concisa, mas brilhante, análise do exército alemão na II Guerra Mundial e, em especial, de seu estado em 1944-45). Analisa, ainda, o terreno, o clima e os equipamentos – tudo para que o leitor compreenda quem foram e o que viveram, de fato, aqueles 25.334 brasileiros que cruzaram o Atlântico para lutar contra “o alemão”.

Outro aspecto que torna-se um diferencial em relação a outras obras sobre o mesmo tema, com as quais muitos de nós aqui travaram contato, é o conhecimento do César sobre a organização das unidades militares, das táticas de combate, das armas e equipamentos então empregados. Pode parecer um artigo de luxo, um "apego de colecionador/entusiasta", mas esse conhecimento (principalmente das OM e do uso tático do armamento) confere à narrativa do autor e de seus entrevistado uma vivacidade e robustez ímpares, destacando-o sobremaneira em relação a obras de outros acadêmicos que não se preocuparam com estes “detalhes” (e que são a verdadeira “alma” de qualquer relato histórico militar).

O resultado é inspirador, tomando o leitor “de assalto”. Não é mais uma destas obras caça-níqueis que há sobre a II Guerra Mundial que repetem “mais do mesmo”; é o fruto de um trabalho realizado ao longo de mais de década e meia por alguém realmente comprometido a retratar aqueles homens barbudos, sujos e fatigados. Como resultado, posso dizer que é impossível não olhar para o infante febiano de modo diferente e mais reverencial (deixando de lado as vicissitudes do colecionismo, que tantas vezes nos cega) após a leitura deste livro.

Enfim, um livro essencial para que se consiga ter uma vaga idéia da experiência dos soldados de infantaria que lutaram na Itália 65 anos atrás, resultado de um trabalho honesto para com o leitor e para com a FEB."

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

HÁ 50 ANOS....

Na Coluna "HÁ 50 ANOS" d'O GLOBO, do dia 11 do corrente, consta o resumo de uma notícia sobre um acidente ocorrido com um avião da F.A.B. que transportava os esquifes de 152 pracinhas (ver anexo).
Você sabia ?



Matéria enviada pelo nosso leitor e colaborador Cesar Cerqueira

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

PEGANDO A ESTRADA SP 623 - DEL PASSO BRASA

Após sair de Pistóia em direção a Bologna, e ter passado por Silla, abandonamos a SS 64 em direção a Gaggio Montano. Começamos a subir em direção a Monte Castello, Montese......



Num certo ponto da estrada, demos de cara com a placa a seguir...todos estes nomes estão nos relatos dos ataques de Monte Castello, então imaginem a quantas já estava a emoção



Ao atingirmos o sopé do Monte, nos deparamos com algumas placas feitas pelo Instituto Linea Gotica, que está identificando diversas localidades que fizeram parte da Linha Defensiva alemã que passava pelos Apeninos e evitaria a chegada dos aliados ao Passo de Brener







No GPS....



Em frente ao Monumento, no sopé do Castello



Ao nos afastarmos do monumento, podemos observar o famigerado Monte Castello à esquerda e uma propriedade ao fundo



Mais uma vista de Monte Castello, provavelmente a última que muitos tiveram......



Ao começar a subir o Monte, começamos a nos deparar com alguns prováveis locais de tocas ocupadas pelos alemães. Na foto fica difícil visualizar



Setor de tiro da toca mostrada acima, em direção a Gaggio Montano. Os que vieram desta direção tiveram que passar por pelo menos 300 metros de campo aberto, sem nenhuma coberta ou abrigo



Continuamos a subir e percebemos porque era impossível a tomada deste Monte sem a tomada dos que estavam em volta, o Della Torracia, Belvedere....que seriam tomados na última tentativa pela 10ª Divisão de Montanha



Ao continuar a subida, a vegetação começa a ficar mais alta e fechada, tornando-se impossível tirar fotos de cima do Monte para o horizonte



65 anos e 9 meses após elementos do 1º Regimento de Infantaria - Regimento Sampaio - levantar a bandeira do Brasil, chegou a nossa vez de chegar ao cume do Monte Castello



Apesar de já estar bastante frio por lá (para os padrões tupiniquins), já dava para perceber que o solo era lamacento e escorregadio, mesmo não tendo nevado ainda. Então é nítido porque, em muitos relatos, fala-se sobre a dificuldade em se andar neste terreno em particular, além da inexistência da cobertas e abrigos durante grande parte da subida, e ainda o comandamento que os Montes que rodeiam o Castello têm sobre ele. Todos estes fatores, e mais alguns, fizeram deste Monte um obstáculo atravessado na garganta dos brasileiros durante alguns meses, e que hoje abriga pacatas construções italianas.

Pela paz e tranquilidade que encontramos hoje em dia, parece que nunca houvera troca de tiros, estrondos de granadas de morteiros e artilharia, gemidos de feridos, desaparecidos, e tantas outras amarguras que só a guerra pode trazer a um lugar como este.

Que nós não precisemos reviver momentos como esses de 65 anos atrás, e sim momentos de visita como este de 2010. Mais uma vez, deixamos aqui a nossa homenagem àqueles que participaram dos ataques a este lugar, onde mais de 100 perderam a vida pelo Brasil.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Lote Expedicionário Ceslau Mainko - Depósito de Pessoal

É com grande satisação que, devidamente autorizado, coloco aqui um lote bastante interessante, recebido por um amigo nosso diretamente das mãos da família do veterano.

É um lote bem bacana e apresenta os seguintes itens:

1) Certificado de Reservista de 1ª Classe do TO da Itália;
2) Diploma da Medalha de Campanha;
3) Cartão de Identidade (3º RAM);
4) Livreto “Ricordi Di Roma” Parte I;
5) 10 fotos;
6) 01 Placa de Identificação EUB; e
7) 01 Moeda italiana C.50 de 1941.



O verso apresenta um selo do D.R. 15ª C.R. de 1946 e a inscrição “apresentou-se nesta data, declarando ir residir em união da Vitória. Porto União, 5 de setembro de 1945” sobre o carimbo da Repartição Alistadora do 5º BEM.

Diploma da Medalha de Campanha



A medalha foi fixada à cruz da sepultura do Sr. Ceslau em seu sepultamento e, obviamente, desapareceu depois de um tempo.

Cartão de Identidade (3º RAM)






Livreto “Ricordi Di Roma” Parte I



Trata-se de um livreto com capa dura, com as páginas ligadas umas às outras e dobradas em sanfona, tamanho 16,5 X 11,5cm, apresentando inúmeras fotos em preto e branco, de pontos turísticos de Roma, com descrição no verso em quatro línguas (italiano, francês, inglês e alemão). Não há crédito do editor ou ano.

Fotografias

O lote trás dez fotografias tiradas na Itália e no Brasil, algumas possuindo inscrição no verso.

Este conjunto abaixo, não possui inscrição no verso, possuindo a foto central tamanho 9,5 X 7cm e as demais 8,5 X 5,5cm:



As próximas imagens são todas italianas.

Aqui uma bela foto turística, com dimensões de 8,5 X 13cm, tipo cartão postal, apresentando a seguinte inscrição à lápis “Basílica da Itália ano 1945”:







Placa de Identificação EUB

Para encerrar, apresento a imagem da placa de identificação do Sr. Ceslau Mainko. Ela foi recebida isolada e sem a correntinha.



Agradecemos ao proprietério, Eros José Sanches, que possibilitou a divulgação das imagens, e a própria família, que guardou com carinho todos estes objetos desde o falecimento do veterano, em 1974.