COMPRO MATERIAL DA FEB: JULIOZARY1997@GMAIL.COM

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

ACERVO DA FEB NO MUSEU MILITAR CONDE DE LINHARES

Localizado no Rio de Janeiro, este Museu não é muito conhecido pela população em geral, pois sua criação é recente (1998).

Abriga uma ala inteira dedicada à FEB.

Colocamos aqui duas fotos do próprio site do MMCL.





Para maiores informações, acesse: http://www.fortedecopacabana.com/modules/mastop_publish/?tac=Inicio

Endereço:
Av. Pedro II, 383 - São Cristóvão
Rio de Janeiro - RJ, 20941-070
(0xx)21 2589-9581

IPHAN DEVERÁ TOMBAR O MONUMENTO AOS MORTOS

Monumento aos Pracinhas deverá ser tombado pelo Iphan

Por Redação. - 14:31:00 -

O monumento que fica no Parque do Flamengo poderá ser tombado pelo Iphan após a reunião dos dias 4 e 5 de novembro
Rio de Janeiro (Agência Rio) - O Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, localizado no Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro, deverá ser tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A reunião que irá analisar o pedido de tombamento do monumento acontece entre os dias 4 e 5 de novembro. O próprio Parque do Flamengo já é tombado pelo Iphan.
Conhecido como Monumento aos Pracinhas, foi construído entre 1957 e 1960 e projetado pelos arquitetos Marcos Konder Netto e Hélio Ribas. O conjunto é integrado por três obras: uma escultura de metal homenageando a força aérea brasileira, outra em granito que homenageia os pracinhas das três armas e um painel de azulejos destacando os combatentes e os civis que morreram em operações navais. Junto ao monumento, localiza-se um museu composto por objetos e equipamentos usados pela Força Expedicionária Brasileira e outros apreendidos de soldados alemães.
Simbolicamente, o Monumento aos Mortos da II Guerra Mundial, estiliza duas palmeiras amparando mãos que levam até o céu nossos pracinhas mortos em combate, cujos 468 túmulos se localizam no subsolo. A plataforma elevada, que atinge trinta e um metros de altura empregou, pela primeira vez no país, concreto aparente.
A Força Expedicionária Brasileira, conhecida como FEB, foi constituída por 25.334 soldados das três armas que lutaram ao lado dos aliados, na Itália, e tinha como lema a expressão "A cobra está fumando", uma alusão ao que se dizia, à época, que seria "mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil entrar na guerra".
A reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural será nos próximos dias 4 e 5 novembro, no Salão Portinari, que fica no Palácio Gustavo Capanema, sede do Iphan no Rio de Janeiro. O Conselho que avalia os processos de tombamento e registro, presidido pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros de instituições como Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil.
Fonte: oreporter.com


Fonte: montedo.com

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

domingo, 17 de outubro de 2010

LIVRO JOÃO TARCISIO BUENO: HERÓI DE ABETAIA

Mais um livro ara quem gosta do assunto, e com um tema pouco exploado até hoje.


"A presente biografia do Capitão João Tarcísio Bueno, um dos grandes heróis brasileiros, vem preencher uma grave lacuna na vasta literatura sobre a ação da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial. Nome lendário na história da FEB e do Exército Brasileiro, pela primeira vez uma obra específica se debruça sobre a vida do Herói de Abetaia, ator central do mais sangrento e épico dos ataques brasileiros a Monte Castelo, em 12 de dezembro de 1944.

Retraçando suas origens familiares em Mato Grosso – Estado cujos filhos tanto se destacaram naquele conflito -, esta biografia reconstitui a história de uma família de homens de armas que vem desde as bandeiras, passa pela Guerra do Paraguai até chegar ao mais terrível confronto da História. Sua ação em combate, seu resgate homérico, sua quase milagrosa sobrevivência a ferimentos incompatíveis com a vida humana, tudo é aqui narrado, até sua morte, já como General, dezenove anos após a Grande Guerra, ainda por causa dos ferimentos nela recebidos, o que faz dele o único General brasileiro morto em conseqüência da Segunda Guerra Mundial.

Este livro tem um duplo enfoque e um duplo interesse. Se é, antes de tudo, um livro de historiografia militar, centrado na ação de um dos maiores heróis da FEB, é, por outro lado, e de forma muito mais dispersa no tempo, a história de uma família brasileira, mato-grossense de velhas origens paulistas, dedicada por quatro séculos à expansão e à defesa do nosso território. Seu interesse, portanto, abarca igualmente a história de Mato Grosso e de Cuiabá e a história da ação brasileira na Segunda Guerra Mundial, memorável ação contra a ideologia mais metodicamente baseada na loucura e na animalidade que o ser humano jamais viu surgir."


http://www.ermakoff.com.br/?id=3&livro_id=17

http://www.travessa.com.br/JOAO_TARCISIO_BUENO_O_HEROI_DE_ABETAIA/artigo/afbefc0d-728d-464a-a9a5-386466cfdbc1

Por Renato C. Fonte: hmmb.com.br/forum

sábado, 16 de outubro de 2010

LANÇAMENTO DE LIVRO AGORA EM OUTUBRO

Já pode ser encomendado pela internet. Mais uma obra do guru Cesar Campiani.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

LIGAÇAO DAS UNIDADES DA FEB COM AS ATUAIS UNIDADES DO EXERCITO

* 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária

Atualmente é a 1ª Divisão de Exército - Vila Militar de Deodoro - Rio de Janeiro - RJ

* Companhia do Quartel General

Banda de Música Divisionária - Formada por militares da várias Unidades e de "Tropa Especial", organizado à base da mobilização de policiais da Guarda Civil de São Paulo - Atualmente a Companhia de Comando da 1ª Divisão de Exército - Vila Militar de Deodoro - Rio de Janeiro;
A Guarda Civil, ou Força Pública desmembrou-se em Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Científica do Estado de São Paulo;
Corpo Musical da Polícia Militar do Estado de São Paulo - Bairro da Luz São Paulo;
Banda de Música da 1ª Divisão de Exército.

* 9º Batalhão de Engenharia

Formado pelo 9º Batalhão de Engenharia de Combate Batalhão Carlos Camisão, Aquidauana-MS, e pelos Sargentos da Companhia Escola de Engenharia - Rio de Janeiro - Atualmente o 9º Batalhão de Engenharia de Combate permanece na cidade de Aquidauana;
Posteriormente a Companhia Escola de Engenharia passou à denominação de 9ª Companhia de Engenharia de Combate (Escola) e na década de 1990 transformou-se na 1ª Companhia de Engenharia do 1º Batalhão de Engenharia de Combate - Batalhão Vilagran Cabrita, o qual passou a se chamar Batalhão Escola de Engenharia.

* 1º Regimento de Infantaria

Atualmente o 1º Regimento de Infantaria tornou-se o 1º Batalhão de Infantaria Motorizado (Escola) – Regimento Sampaio, pertencente ao Grupamento de Unidades-Escola/9ª Brigada de Infantaria Motorizada situado na Vila Militar de Deodoro, no Rio de Janeiro - RJ;

* 6º Regimento de Infantaria

Atualmente o 6º Regimento de Infantaria tornou-se o 6º Batalhão de Infantaria Leve Regimento Ipiranga, pertencente à 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), situado na Cidade de Caçapava - SP.

* 11º Regimento de Infantaria

Atualmente o 11º Regimento de Infantaria tornou-se o 11º Batalhão de Infantaria de Montanha Regimento Tiradentes, pertencente à 4ª Brigada de Infantaria Motorizada e está situado na Cidade de São João del-Rei - MG.

* 1º Esquadrão de Reconhecimento

Formado pelo 3º Esquadrão de Reconhecimento e Descoberta do 2º Regimento Moto-Mecanizado e por militares do Esquadrão Escola de Cavalaria - Atualmente o 1º Esquadrão de Cavalaria Leve Esquadrão Ten Amaro, Valença-RJ. Na guerra do Esquadrão foi comandado pelo então Tenente Plínio Pitaluga. No retorno da Guerra o Capitão Pitaluga é nomeado comandante do 9º Esquadrão de Cavalaria Mecanizada (Escola) e na década de 1990 transformou-se no 1º Esquadrão do 2º Regimento de Cavalaria de Guardas Regimento Andrade Neves, o qual passou a se chamar Regimento Escola de Cavalaria - Rio de Janeiro - RJ. Regimento Pitaluga

* Pelotão de Polícia

Formada por militares da várias Unidades e de "Tropa Especial", organizado à base da mobilização de policiais da Guarda Civil de São Paulo - Atualmente o 1º Batalhão de Polícia do Exército - Rio de Janeiro - RJ.

* 1º Batalhão de Saúde

Atualmente o 21º Batalhão Logístico – Batalhão Oswaldo Cruz - Rio de Janeiro - RJ.

* 1ª Companhia de Transmissões

Formada por militares da várias Unidades e de "Tropa Especial", organizado à base da mobilização de policiais da Guarda Civil de São Paulo - Atualmente o 1º Batalhão de Comunicações de Exército Batalhão Barão de Capanema, denomina-se Batalhão Escola de Comunicações.

* 1ª Companhia Leve de Manutenção e 1ª Companhia de Intendência

Formadas por militares da várias Unidades e da "Tropa Especial", organizado à base da mobilização de policiais da Guarda Civil de São Paulo - Atualmente o 19º Batalhão Logístico Batalhão Marechal Bittencourt, é o herdeiro das tradições das 1ª Companhia Leve de manutenção e 1ª Companhia de Intendência; - Rio de Janeiro-RJ.

* Artilharia Divisionária Expedicionária

Atualmente a Artilharia Divisionária (1ª Divisão de Exército) - AD Cordeiro de Farias, Rio de Janeiro-RJ.

* Bateria de Comando da Artilharia Divisionária Expedicionária

Atualmente a Bateria de Comando da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército, Rio de Janeiro-RJ.

* I Grupo Obuses 105

Atualmente o 1º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva – Regimento Floriano, Marabá-PA.

* II Grupo de Obuses 105

Atualmente o 21º Grupo de Artilharia de Campanha - Grupo Monte Bastione, Rio de Janeiro-RJ.

* III Grupo Obuses 105

Atualmente o 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve - Grupo Bandeirante, Barueri-SP.

* IV Grupo de Obuses 155

Atualmente o 11º Grupo de Artilharia de Campanha - Grupo Montese, Vila Militar de Deodoro - Rio de Janeiro-RJ.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/For%C3%A7a_Expedicion%C3%A1ria_Brasileira

CANÇAO DO EXPEDICIONARIO

Versao original.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

LANÇAMENTO DE LIVRO SOBRE OS U-BOATS, MAS COM AUTOR BRASILEIRO

Os U-Boats foram os submarinos alemães que aterrorizaram os mares na década de 40. Graças a eles o Brasil declarou guerra ao Eixo.

Um brasileiro, chamado Nestor, aliando sua experiência em mergulhos com o interesse pela história, resolveu ir atrás de vários desses U-Boats afundados pelo mundo.

Ele lançará um livro agora em Dezembro. Então, convido a todos a acessarem este link, no qual ele fala um pouco mais sobre a sua obra.

Interessante dar uma olhada: http://cavaleirodasprofundezas.blogspot.com/?psinvite=ALRopfXcIoNlFpsc3BTmWAEIgtgUzCail2DErzl2iZWY-aoqIPgBos38WimaDU-EATTet94BmlLOLAdRZFfreB4yQbav0jilug

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

DOIS MANEQUINS DO MUSEU DA FEB DE BELO HORIZONTE


A primeira representa um Capitão de Infantaria da FEB com o uniforme de início de campanha.





Mais uma vez convidamos a todos para que apreciem o acervo deste bem cuidado museu.

Na segunda foto podemos ver uma enfermeira envergando uma farda do Exército já aqui no Brasil. Mostramos uma farda idêntica a esta há um tempo atrás aqui também.

ENCONTRO NACIONAL DE VETERANOS