COMPRO MATERIAL DA FEB: JULIOZARY1997@GMAIL.COM

sexta-feira, 30 de julho de 2010

MEDALHA MARECHAL MASCARENHAS DE MORAES

Este é um objeto que tem especial apreço no acervo. Trata-se da medalha e diploma concedidos pela Associação Nacional dos Veteranos da FEB a minha pessoa, no ano de 2006, por ter recebido o diploma de melhor trabalho de historia militar da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais do ano anterior.

Apesar de não ser um item de época, tenho muito orgulho de ter recebido, e ostento a medalha no uniforme sempre que é permitido.

CONDECORAÇÕES CONCEDIDAS AOS FEBIANOS MORTOS NA ITÁLIA

Estas informações foram extraídas do Boletim Especial do Exército, de 2 de dezembro de 1946, o qual traz informações sobre todos os militares mortos da FEB, tipo nome, I.G. (Nr da identidade), onde nasceu, classe, condecorações, filiação, etc...

Oficiais, Sgt e cabos.

Capitão (1 morto):
Medalha de Campanha - 1

1º Tenente (1 morto):
Medalha de Campanha - 1
Sangue do Brasil - 1
CC2 - 1

2º Tenente (10 mortos):
Medalha de Campanha - 10
CC1 - 5
CC2 - 4
Sangue - 5
Cruz de Guerra francesa com palma - 1

Aspirante (1 morto):
Medalha de Campanha - 1
Sangue - 1
CC1 - 1

Sub-tenente (1 morto):
Medalha de Campanha - 1

1º Sgt (3 mortos):
Campanha - 3
Sangue - 1
CC1 - 1
CC2 - 1

2º Sgt (18 mortos):
Campanha - 18
Sangue - 11
CC2 - 9
CC1 - 5
Bronze Star - 1

3º Sgt (42 mortos):
Campanha - 42
Sangue - 30
CC2 - 24
CC1 - 5

Cabo (40 mortos):
Campanha - 40
Sangue - 28
CC2 - 26
CC1 - 3

Números totais, excetuando-se os soldados

Mortos (117)
Medalha de Campanha da FEB - 117
Cruz-de-combate 1ª Classe - 21
Cruz-de-combate 2ª Classe - 65
Sangue do Brasil - 75
Bronze Star USA - 1
Cruz de Guerra com palma França - 1

Considerações deste autor:

1 - Todas as informações dizem que os militares foram agraciados, porém, como estavam mortos, talvez as medalhas não existiram fisicamente, tendo sido algumas enviadas às familias, algumas sido extraviadas e outras com outros febianos mesmo, ou ainda indo parar nas Associações de Veteranos.

2- Todos os febianos receberam a Medalha de Campanha da FEB

3 - Não há considerações sobre a Medalha de Guerra no referido documento

4 - Pouquíssimos militares desta lista receberam a Cruz-de-combate sem ter recebido a Sangue do Brasil, ou vice-versa. Se não me engano uns 5 apenas.

5 - Apenas um militar desta lista recebeu a CC1 e a CC2.

6 - Apenas 2 militares receberam condecorações estrangeiras.


Soldados (340 mortos):
Medalha de Campanha - 340
CC1 - 27
CC2 - 232
Sangue - 241

Desaparecidos

2º Sgt (1)
Medalha de Campanha - 1
CC2 - 1

3º Sgt (4)
Medalha de Campanha - 4
CC2 - 4

Cabo (3)
Medalha de Campanha - 3
CC2 - 3

Soldado (15)
Medalha de Campanha - 15
CC2 - 15

Números totais, incluindo-se os soldados e os desaparecidos:

militares (480)
Medalha de Campanha da FEB - 480
Cruz-de-combate 1ª Classe - 48
Cruz-de-combate 2ª Classe - 320
Sangue do Brasil - 316
Bronze Star USA - 1
Cruz de Guerra com palma França - 1


1 - Todas as informações dizem que os militares foram agraciados, porém, como estavam mortos, talvez as medalhas não existiram fisicamente, tendo sido algumas enviadas às familias, algumas sido extraviadas e outras com outros febianos mesmo;

2- Todos os febianos receberam a Medalha de Campanha da FEB;

3 - Não há considerações sobre a Medalha de Guerra;

4 - 14 militares desta lista receberam a Cruz-de-combate sem ter recebido a Sangue do Brasil;

5 - Apenas 4 militares desta lista receberam a CC1 e a CC2, sendo 3 soldados e um Sgt.

6 - Apenas 2 militares receberam condecorações estrangeiras, sendo um Of e um Sgt.

7 - Todos os desaparecidos receberam a Medalha de Campanha e a CC2, sem exceção;

8 - Os militares mortos ou feridos em acidentes só receberam a medalha de campanha;

9 - Falta fazer o levantamento do pessoal que sobreviveu a guerra. Isso eu gostaria de ter um dia.

Quem necessitar de informações sobre os febianos mortos na Itália é só pedir.

VENCIMENTO DOS FEBIANOS DURANTE A CAMPANHA

Dando uma olhada nos meus alfarrábios, pude reencontrar um livro bem interessante, chamado: Guia do Ex-combatente. Autor: Paulo Gevaerd Ferreira. 1955.

Este livro trás inúmeras informações, tais como leis, decretos, etc.....sobre medalhas, vencimentos, insígnias e outros.

Uma que achei interessante foi a tabela de vencimentos dos ex-combatentes, quando em operações na Itália (valores em dólares daquela época)

Gen Divisão..................US$ 320,00
Gen Brigada........................230,00
Coronel...............................220,00
Ten-Coronel........................200,00
Major..................................180,00
Capitão...............................140,00
Primeiro-tenente..................120,00
Segundo-tenente..................90,00
Aspirante.............................70,00
Sub-tenente.........................70,00
Sgt Ajudante........................50,00
Primeiro Sgt.........................45,00
Segundo Sgt........................40,00
Terceiro Sgt.........................35,00
Cabo...................................25,00
Soldado...............................10,00

Hoje em dia o Exército está um pouco mais amparado quanto a isso.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

NARRATIVAS PESSOAIS DE FEBIANOS - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DA FEB

Segue uma lista, retirada do forum HMMB (www.hmmb.com.br/forum), onde há inúmeras obras de narrativas pessoais de febianos. Muitas obras são difíceis de se encontrar, pois tiveram edição limitada e por serem antigas.

Fica como lista para quem gosta de procurar livros ainda não lidos, observando-se aspectos diferentes dos contados oficialmente.

LIVROS

Albuquerque, J.F. A Primavera Está no Fim. São Paulo: Panorama, sem data.
Albricker, Jarbas. Memorias de um pracinha: (uma contribuição para a historia da Força Expedicionaria Brasileira). 2a ed. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1983. 120p.
Alencar, J.U.C. Com Um Pelotão na FEB. João Pessoa: Edição do Autor, 1991.
Almeida, A . R., Cel., Montese - Marco Glorioso de Uma Trajetória. Rio de Janeiro: Bibliex, 1985.
Amiden, J. Eles não voltaram. Rio de Janeiro: Gráfica Riachuelo Editora, 1960.
Andrade, C.T.S. Soldados Sem Botas. São Paulo: Biblos, sem data.
Andrade, D.P. O 11o. R.I. na 2a. Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Biliex, 1950.
Biosca, F.L. A Intendência no TO da Itália. Rio de Janeiro: Bibliex, 1950.
Braga, R., Com a FEB na Itália. Rio de Janeiro: 1945.
Braga, R. Crônicas da Guerra Na Itália. Rio de Janeiro: Record, 1985.
Brayner, F.L. A Verdade Sobre A FEB. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.
Brayner, F.L. Recordando os Bravos - eu convivi com eles na Campanha da Itália. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.
Brayner, Floriano de Lima. Luzes no Crepúsculo, Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1978
Brito, P. Eu Fui Capelão da FEB. Santa Maria: Juventus S.A., sem data.
Caldas, M. O Posto Avançado de Neuro Psiquiatria da FEB. Rio de Janeiro: Biblioteca Militar, 1950
Campello, R.L. Um Capitão de Infantaria da FEB. Rio de Janeiro, Biblioteca do Exército, 1999.
Carvalho, E.L. A Serviço do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Editora A Noite, 1952.
Cerqueira, D. Reminiscências da Campanha do Paraguai. Rio de Janeiro: Bibliex, 1980.
Cidade, F.P. Nápoles e.. pouco mais. Ligeiras observações de um expedicionário. Rio de Janeiro: Biblioteca Militar, 1946.
Clark, M Calculated Risk. Londres: George G. Harrap, 1950.
Cornia, C. Monterosa. Udine, 1971.
Corrêa Neto, A. Notas de um Expedicionário Médico. São Paulo: Almed, 1983.
Costa, N. Vida e Luta de um Pracinha. Campina Grande: Edição do Autor, 1950.
Crittenberger, W.D. Campanha ao Noroeste da Itália. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1952.
Dequech, J. Nós Estivemos Lá. Curitiba: Legião Paranaense do Expedicionário, 1995.
Dourado, J.J. Estou ferido... Rio de Janeiro: A Noite, 1945.
Duboc, A. Histórias de pracinhas contadas por eles mesmos. Juiz de Fora: Associação Nacional dos Veteranos da FEB, relatos coletados entre 1975 e 1982.
Eckert, J.E. Memórias de um ex-combatente. Florianópolis: Editora Insular, 2000.
Ferraz, B. Com A FEB na 2a Guerra Mundial. Recife: Edição do Autor, 1993.
Fiaschi, C. La Guerra sulla Linea Gotica Ocidentale. Bolonha: Editrice Lo Scarabeo, 1999.
Fonseca, R.O. Uma face da glória. Rio de Janeiro: Editora Ágora da Ilha, 2002.
Gonçalves, Carlos Paiva. Seleção Médica do Pessoal da FEB. Rio de Janeiro: Bibliex, 1951.
Gonçalves, J.; Maximiano, C.C. Irmãos de Armas. São Paulo: Códex, 2005.
Gondim, N.V. Liberdade Escrita com Sangue. Florianópolis: Editora Insular, 2001.
Henriques, E.M. A FEB Doze Anos Depois. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1959.
J.J. Mestre Praça. Fortaleza: Escola Tip. São Francisco, 1960.
Junqueira, L. Força Expedicionária Brasileira. Fragmentos de História. Ribeirão Preto: edição do autor, 2002.
Klas, A.B. A Verdade Sobre Guanella. Curitiba: Juruá Editora, 2002.
Lima, R.M. Senta a Pua!. Rio de Janeiro: Bibliex, 1980.
Lima Júnior, R.C. Quebra Canela. Rio de Janeiro: Bibliex, 1985.
Machado, J.A. Eu vi o Front. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1953.
Manika, A.; Ferrarini, S. Alberto Manika, padioleiro da FEB. Curitiba: Champagnat, 1993.
Mascarenhas de Moraes, J.B. A FEB Pelo Seu Comandante. São Paulo: IPE S/A, 1947.
Mascarenhas de Moraes, J.B. A FEB Pelo Seu Comandante. Rio de Janeiro: Estabelecimento General Gustavo Cordeiro de Farias, 1960.
Mascarenhas de Moraes, J.B. Memórias. Bibliex: Rio de Janeiro, 1968.
Mello, N.C.A. Meu Diário da Guerra na Itália. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1947.
Mello e Souza, R. Mina R. Rio de Janeiro: Record, 1995.
Mendes, U.B. Brasileiros na Guerra (Zé Silva na FEB). São Paulo: edição do autor, 1997.
Moraes, TC Antonio H. Almeida. No Teatro do Mediterrâneo. Rio de Janeiro:Biblioteca do Exército, 1953.
Moura, L.C. O Brasil na 2a Guerra Mundial. Bragança Paulista: edição do autor, 2002.
Paes, W.M. Lenda Azul. Rio de Janeiro: Bibliex, 1991.
Palhares, G. De São João Del Rey ao Vale do Pó. Rio de Janeiro: Bibliex, 1957.
Pedroso da Cruz, V. Os Caminhos de Um Pracinha. São Paulo: Edição do Autor, 2008.
Peres, A.C. As Agruras de Um Recruta. Rio de Janeiro: Edição do Autor, sem data.
Piske, F. Anotações do “Front” Italiano. Florianópolis: FCC Edições, 1981.
Prata, D. RoBerTo Contra o mundo. Rio de Janeiro: Editora Ágora da Ilha, 2001.
Ramos, J.O. A Epopéia dos Apeninos. Rio de Janeiro: Gráfica Laemmert, 1949.
Reis, E.M. Hospital 32. Memórias de um médico expedicionário. São Paulo: Fernando Camargo & Cia. Ltda., 1947.
Rocha, J.E.M. Senha e Contra-Senha. Rio de Janeiro: edição do autor, sem data.
Rocha, J.E.M. A Serviço do Brasil. Rio de Janeiro: Gráfica Editora do Livro Ltda., sem data.
Rodrigues, A. J. Segundo Pelotão - 8a Companhia. Rio de Janeiro: São Paulo: Editora das Américas, 1968.
Rodrigues, A . J. Terceiro Batalhão - o Lapa Azul. Rio de Janeiro: Bibliex, 1985.
Santos, Major Francisco Ruas. Fontes para a História da FEB. Rio de Janeiro: Bibliex, 1958.
Schnaiderman, B. Guerra Em Surdina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira Editora, 1964.
Senna Campos, Com a FEB na Itália. Rio de Janeiro: Imprensa do Exército, 1970.
Silva, E.A . Memórias de Um Soldado. Rio de Janeiro: Bibliex, 1985.
Silva, J.A. A Saga de um Catarina na FEB. Florianópolis: edição do autor, 2001.
Silveira, Cap Antorildo, 6º R.I. Expedicionário. Rio de Janeiro: Biblioteca Militar, 1947.
Silveira, J.X. Cruzes Brancas. Rio de Janeiro: José Alvaro, 1963.
Silveira, J. As Duas Guerras da FEB. Rio de Janeiro: Idade Nova, 1965.
Silveira, J. Histórias de Pracinha. Rio de Janeiro: Cia, Editora Leitura, 1945.
Silveira, J. O Brasil na 2a Guerra Mundial. São Paulo: Ediouro, 1975.
Silveira, J., Mitke, T. A Luta dos Pracinhas. Rio de Janeiro: Record, 1984.
Simões, R.M. A presença do Brasil na 2a Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1967.
Soares, Leonercio. Verdades e Vergonhas da Força Expedicionária Brasileira. Curitiba: Edição do Autor, 1985.
Viotti, C.A. Crônicas de Guerra. A Força Expedicionária Brasileira na Itália. Belo Horizonte: Edição do autor, 1998.
Udihara, M. Um Médico Brasileiro no Front. São Paulo: Narrativa Um, 2002.
Uzeda, O . G. Crônicas de Guerra. Rio de Janeiro: Bibliex, 1952.
Vários. Depoimento de Oficiais da Reserva Sobre a FEB. São Paulo: IPE S/A, 1949.
Vários. Revista Militar Brasileira. Número Comemorativo do 30a Aniversário da FEB. Brasília, 1973.
Vidal, P. Heróis Esquecidos. Rio de Janeiro: Edições GRD, 1960
Vidigal, G. O Aprendiz de Liberdade. São Paulo: Saraiva, 1988.
Viotti, C.A. Crônicas de Guerra. A Força Expedicionária Brasileira na Itália. Belo Horizonte: edição do autor, 1998.
Walters, V. Missões Silenciosas. Rio de Janeiro: Editora Record, 1980.

ARTIGOS

Abreu, H. A. “A Ação do III/11o. R.I. em Montese”. A Defesa Nacional, setembro de 1946.
Carvalho, N.R. "Descrição Sumária do Terreno em Que Inicialmente Atuou o Destacamento da FEB ". A Defesa Nacional, junho de 1945.
Carvalho, N.R. “Relato da Atuação da FEB no Teatro de Operações da Itália”. A Defesa Nacional, dezembro de 1945/janeiro de 1946.

OBRAS DE REFERÊNCIA

Albuquerque, B.C.L.L. A Justiça Militar na Campanha da Itália. Fortaleza: Imprensa Oficial, 1958.
Associação dos Expedicionários Campineiros Campinas na II Guerra Mundial.
Campinas: Edição da Associação dos Expedicionários Campineiros, 1998.
Barros, A . Expedicionários Sacrificados na Campanha da Itália. Rio de Janeiro: Succini, 1957.
Castello Branco, M.T. O Brasil na II Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Bibliex, 1960.
Costa, O. 50 Anos Depois da Volta. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1995.
Bellisi, W. Montese: Fascismo, Guerra, Ricostruzione. Modena: Il Trebbio Editoriale, 1994.
Bonalume Neto, R. A Nossa Segunda Guerra. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1995.
Bodesan, A . Um Pracinha Paulista no Inferno de Hitler. São Paulo: 1947.
Boucsein, H. Bomber, Jabos, Partisanen. Potsdam: Kurt-Vowinckel-Verlag, 2000.
Camargo, Aspásia; Góes, Valder de. Meio Século de Combate: Diálogo com Cordeiro de Farias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.
Cytrynowicz, R. Guerra Sem Guerra. São Paulo: Edusp, 2002.
Fernandes, F. L. A Estrada para Fornovo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
Ferraz, F.C.A. Os Brasileiros e a Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.
Fundação Cultural do Exército. História Oral do Exército na Segunda Guerra Mundial. Vols. 1 a 8. Rio de Janeiro: Bibliex, 2001.
Maximiano, C.C. Onde Estão Nossos Heróis - Uma Breve História dos Brasileiros na 2a Guerra. São Paulo: 1995.
Meira Mattos, C. O Mal. Mascarenhas de Moraes e Sua Época. Rio de Janeiro: Bibliex, 1983.
Moura, G. Autonomia na Dependência. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.
Moura, G. Sucessos e Ilusões. Rio de Janeiro: FGV Editora, 1991.
Oliveira, D. Os Soldados Brasileiros de Hitler. Curitiba: Juruá Editora, 2008.
Oliveira, D. Os Soldados Alemães de Vargas. Curitiba: Juruá Editora, 2008.
Santos, F.R. Fontes Para a História da FEB. Rio de Janeiro: Bibliex, 1958.
Vidal, G.S. A Guerra Proscrita. Rio de Janeiro: Editora Razão Cultural, 1999.
Waack, W. As Duas Faces da Glória. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

MONOGRAFIAS

Cabral, F.P. Um batalhão da FEB no Monte Castello. Tese de Doutoramento, Universidade de São Paulo, 1982.
Ferraz, F.C.A. A Guerra Que Não Acabou. Tese de Doutoramento, Universidade de São Paulo, 2002.
Neves, L.F.S. A Força Expedicionária Brasileira: Uma Tentativa de Interpretação. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Fluminense, 1993.
Salun, A.O. Zé Carioca Vai à Guerra. Dissertação de Mestrado. PUC-SP, 1996.
Zary, J.C.F. A atuação do Batalhão Syzeno no 4º ataque ao Monte Castelo. Rio de Janeiro: ESAO, 2005.

Segundo nosso amigo Cesar Campiani, de um ponto de vista literário/pessoal, os livros mais interessantes de se ler são:

Mina R
Segundo Pelotão - 8a Companhia
Verdades e Vergonhas da FEB
Uma Face da Glória
Cruzes Brancas
Os Caminhos de Um Pracinha

De um ponto de vista literário/militar:

Quebra Canela
Lenda Azul
Depoimento dos Oficiais da Reserva Sobre a FEB

E não sendo de autoria de expedicionário, mas é muito bom:

A Nossa Segunda Guerra, de Ricardo Bonalume Neto.

Depois há os livros dos correspondentes de guerra: Joel Silveira e Rubem Braga.

Fonte: HMMB

Agradecimento aos amigos Cesar Campiani, Pedro Lages, Marcelo Bonini e Henrique Moura, pelo levantamento desta lista.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

VÍDEO MOSTRA ENTREVISTA COM FEBIANO QUE CUIDAVA DO CEMITÉRIO DE PISTÓIA

Este vídeo trás imagens da última linha de defesa alemã na Itália, o Monte Montello, situado nas cercanias de Montese, tomada nos estágios finais da guerra, em abril de 1945. Vídeo não é recente, mas muitíssimo interessante.

Mostra ainda o febiano Miguel Pereira, brasileiro que ficou na Itália para cuidar do Cemitério Brasileiro em Pistóia. O febiano nos mostra o Monte Castello ao fundo e conta porque ficou na Itália após o fim da guerra.



Texto extraído do Documentário "A Cobra Fumou".

sexta-feira, 23 de julho de 2010

ESTAMPAS EUCALOL CONTAM A HISTÓRIA DA FEB

Durante a década de 40, a Eucalol era uma fábrica de sabonetes para banho. Para aumentar a quantidade de vendas, resolveram lançar diversas coleções de estampas temáticas. Uma destas coleções era sobre a FEB.

A coleção completa conta com 42 estampas. Cada estampa apresenta um desenho e atrás uma breve descrição sobre o que está desenhado à frente.

Clicando neste link: http://www.brasilcult.pro.br/historia/feb/hist01.htm , você terá acesso aos 42 cartões com as respectivas descrições. Trabalho realizado pelo Coronel Raimundo Pereira e Paulo Bomer.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

FEBIANOS ILUSTRES

Serviram, na Força Expedicionária Brasileira, pessoas dos mais variados extratos sociais. Alguns, nos anos seguintes, desempenhariam diretamente papéis de destaque na vida política, social e cultural brasileira. Outros, indiretamente, como pais, educadores ou profissionais, que em suas respectivas áreas influenciaram por aceitação ou oposição as personalidades das gerações posteriores. Citamos, por ordem alfabética, alguns dos seguintes nomes:

* Albuquerque Lima - Ministro do Interior entre 1967 e 1969.
* Antônio Matogrosso Pereira - Militar de carreira do exército e pai do cantor e showman Ney Matogrosso.
* Camilo Cola - empresário e político fundador do Grupo Itapemirim
* Carlos Scliar - desenhista e pintor
* Celso Furtado - Intelectual e economista da CEPAL, criador da SUDENE e Ministro do Planejamento no governo João Goulart.
* Clarice Lispector - Escritora, como voluntária no corpo de enfermeiras da FEB.
* Golbery do Couto e Silva - Ministro da Casa Civil entre 1974 e 1981.
* Hugo Abreu - Ministro da Casa Militar entre 1974 e 1978.
* Humberto de Alencar Castello Branco - Presidente do Brasil entre 1964 e 1967.
* Jacob Gorender - Escritor, militante político e um dos fundadores do PCBR.
* Octavio Costa - Idealizador das campanhas publicitárias do Regime Militar no período Médici.
* Osvaldo Cordeiro de Farias - Governador de Pernambuco entre 1955 e 1959.
* Perácio - Jogador de futebol carioca, nacionalmente famoso nos anos de 1940.
* Poli - Músico profissional, já reconhecido no meio artístico quando convocado. Multinstrumentista que influenciou nomes da MPB nos anos de 1960.
* Salomão Malina - Presidente nacional do PCB entre 1987 e 2001

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/For%C3%A7a_Expedicion%C3%A1ria_Brasileira

domingo, 18 de julho de 2010

ARTIGO SOBRE ESQUECIMENTO E MONUMENTOS DA FEB

Eis aqui um artigo em pdf de um Doutorando chamado Uri Rosenheck, da Emory University americana. Este artigo trás à tona a quantidade de monumentos de expedicionários e sua distribuição pelo Brasil. Interessante artigo escrito por um estrangeiro que tem interesse pela FEB, e mostra informações totalmente novas, do ponto de vista científico.

http://www.lemp.ifcs.ufrj.br/revista/Entre_a_comemoracao_do_passado_e_a_construcao.pdf

LANÇAMENTO DE LIVRO EM 22/03/2011

Eis o link sobre o livro que mencionamos uns dias atrás aqui. Já pode ser reservado no site da AMAZON. Preço sugerido: 12,21 dólares.

http://www.amazon.com/Brazilian-Expeditionary-Force-World-Men-at-Arms/dp/1849084831/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1279340181&sr=1-1

Aqui um close da capa (pode sofrer alterações)



Product Description

In the English-speaking world, it is generally unknown that a volunteer Brazilian Expeditionary Force (FEB) fought alongside the US Army in Italy from mid-1944 until the end of the war. This was in effect a light infantry division, consisting of three infantry regiments augmented with artillery and light armour. It was supported by a Brazilian Air Force contingent of a light reconnaissance squadron as well as a P-47 Thunderbolt-equipped fighter squadron. Although all weapons, uniform, kit and equipment were either American-supplied or American models, there were distinctive Brazilian adaptations to uniforms and other key pieces of kit. This is a seriously researched volume on a little-studied subject matter complete with a range of previously unpublished photographs and specially commissioned artwork plates.


About the Author

Ricardo Bonalume and Cesar Campiani Maximiano are two Brazilian-based journalists and historians who have spent several years investigating this subject with the latter completing his PhD dissertation on the Brazilian Expeditionary Force.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

LANÇAMENTO DE LIVRO SOBRE A FEB

Gostaria de fazer uma pré-propaganda, se é que isto existe, sobre o lançamento de um livro sobre a FEB, de autoria de um velho conhecido, Cesar Maximiano Campiani, editado em inglês pela Osprey Publishing.

Este obra teve maior votação em um dos quiz da Osprey uns tempos atrás. Trará inúmeras informações que até hoje são obscuras para os colecionadores e amantes de material da FEB. Será lançado ainda este ano. Aguardamos ansiosamente,

Enquanto ainda não aparece a chamada no site, vocês podem acompanhar outros títulos da mesma editora, eminentemente voltada para a história militar e seus derivados.

http://www.ospreypublishing.com/

terça-feira, 6 de julho de 2010

ACHADOS DE JURI - SEGUNDA PARTE

Mais uma vez postamos aqui os achados do nosso amigo italiano Juri.

Desta vez ele achou um interessante anel-souvenir italiano, feito provavelmente a partir de janeiro de 1945.

Inicialmente a foto do achado no local.



Agora uma foto do anel depois do processo de limpeza.



Aguardamos novos achados do Juri e adradecemos mais uma vez a possibilidade de postar suas peças aqui.