COMPRO MATERIAL DA FEB: JULIOZARY1997@GMAIL.COM

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

PEGANDO A ESTRADA SP 623 - DEL PASSO BRASA

Após sair de Pistóia em direção a Bologna, e ter passado por Silla, abandonamos a SS 64 em direção a Gaggio Montano. Começamos a subir em direção a Monte Castello, Montese......



Num certo ponto da estrada, demos de cara com a placa a seguir...todos estes nomes estão nos relatos dos ataques de Monte Castello, então imaginem a quantas já estava a emoção



Ao atingirmos o sopé do Monte, nos deparamos com algumas placas feitas pelo Instituto Linea Gotica, que está identificando diversas localidades que fizeram parte da Linha Defensiva alemã que passava pelos Apeninos e evitaria a chegada dos aliados ao Passo de Brener







No GPS....



Em frente ao Monumento, no sopé do Castello



Ao nos afastarmos do monumento, podemos observar o famigerado Monte Castello à esquerda e uma propriedade ao fundo



Mais uma vista de Monte Castello, provavelmente a última que muitos tiveram......



Ao começar a subir o Monte, começamos a nos deparar com alguns prováveis locais de tocas ocupadas pelos alemães. Na foto fica difícil visualizar



Setor de tiro da toca mostrada acima, em direção a Gaggio Montano. Os que vieram desta direção tiveram que passar por pelo menos 300 metros de campo aberto, sem nenhuma coberta ou abrigo



Continuamos a subir e percebemos porque era impossível a tomada deste Monte sem a tomada dos que estavam em volta, o Della Torracia, Belvedere....que seriam tomados na última tentativa pela 10ª Divisão de Montanha



Ao continuar a subida, a vegetação começa a ficar mais alta e fechada, tornando-se impossível tirar fotos de cima do Monte para o horizonte



65 anos e 9 meses após elementos do 1º Regimento de Infantaria - Regimento Sampaio - levantar a bandeira do Brasil, chegou a nossa vez de chegar ao cume do Monte Castello



Apesar de já estar bastante frio por lá (para os padrões tupiniquins), já dava para perceber que o solo era lamacento e escorregadio, mesmo não tendo nevado ainda. Então é nítido porque, em muitos relatos, fala-se sobre a dificuldade em se andar neste terreno em particular, além da inexistência da cobertas e abrigos durante grande parte da subida, e ainda o comandamento que os Montes que rodeiam o Castello têm sobre ele. Todos estes fatores, e mais alguns, fizeram deste Monte um obstáculo atravessado na garganta dos brasileiros durante alguns meses, e que hoje abriga pacatas construções italianas.

Pela paz e tranquilidade que encontramos hoje em dia, parece que nunca houvera troca de tiros, estrondos de granadas de morteiros e artilharia, gemidos de feridos, desaparecidos, e tantas outras amarguras que só a guerra pode trazer a um lugar como este.

Que nós não precisemos reviver momentos como esses de 65 anos atrás, e sim momentos de visita como este de 2010. Mais uma vez, deixamos aqui a nossa homenagem àqueles que participaram dos ataques a este lugar, onde mais de 100 perderam a vida pelo Brasil.

3 comentários:

  1. Linda Maria Fiorotto13 de dezembro de 2010 10:05

    Nossa que maravilha...isso td me fez lembrar as histórias da guerra que meu pai contava, entre elas qdo conseguiram subir no monte castelo, famintos, encontraram dois tonéis, um de pessegos em calda e outro de azeitonas...imagina, detonaram. Maravilhosa viagem, descrição...parabéns, abç

    ResponderExcluir
  2. Julio, essa toca que você mostra fica na frente da baixada de Guanella? Se sim, creio tê-la visto também, em uma viagem de 1994. Havia pedras no parapeito, que proporciona esse excelente campo de tiro. Seria legal fazer essa viagem em um grupo de amigos. C.

    ResponderExcluir
  3. Exatamente Cesar, quero voltar lá com mais tempo, com minhas cartas topográficas para dar uma analisada melhor do lugar, achei mais algumas tocas lá também, mas fica dificil ver na foto. Só indo lá mesmo. Podemos marcar de ir sim.
    Abraço

    ResponderExcluir