COMPRO MATERIAL DA FEB: JULIOZARY1997@GMAIL.COM

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Cap Art Joaquim Antônio da Fontoura Rodrigues

Ao ser declarada a guerra, em 22 de agosto de 1942, o então 1º Tenente Joaquim Antônio da Fontoura Rodrigues (Fontoura) servia no II Batalhão do 4º Regimento de Artilharia Montada, situado em Itu, São Paulo, local onde desempenhava a função de Comandante da 3ª Bateria. O Regimento foi transferido de Itu para a cidade de Maceió - Alagoas, a 13 de setembro do mesmo ano. Essa transferência foi feita por trem até a cidade do Rio de Janeiro, e depois por navio (vapor Almirante Alexandrino). Em Maceió, desempenhou diversas funções, entre as quais Comandante da 6º Bateria.

Em 26 de novembro de 1943, por necessidade do serviço, foi transferido para o 1º Regimento de Artilharia Montada, sediado na cidade do Rio de Janeiro. Ao chegar no Rio de Janeiro, foi convidado a integrar o I /1º Regimento de Obuses Auto-Rebocados, tendo por finalidade seguir juntamente com a FEB para o Teatro de Operações da Itália. Embarcou para “além-mar” no navio transporte de tropas A.P. 116, a 22 de setembro de 1944, tendo atingido o objetivo em 12 de outubro, na cidade de Pisa.

Chegando à Itália, o já Capitão Fontoura - (promovido em 25 Dez 1944) - recebeu a missão de ser Oficial de Ligação com a Infantaria (1º Batalhão do 11º RI), sendo responsável pela condução dos tiros de artilharia em proveito da infantaria, atuando como chefe natural dos Observadores Avançados.

As primeiras operações de guerra realizadas pelo Cap Fontoura foram em 17 de novembro de 1944, realizando reconhecimentos da zona de posições do Grupo para a entrada em operações de guerra no eixo Pistóia-Bologna.

Seu Grupo teve, de 23 a 27 de novembro, a missão de apoio ao conjunto na frente da Task-Force 45, tomando parte das operações do M. Castello, Província de Bologna, onde cumpriu um total de 15 missões de tiro.

A partir de 1º de janeiro, até 19 de fevereiro, o Grupo permaneceu em apoio ao quarteirão oeste (área do 3º Batalhão do 11º RI), e subsetor oeste (área do 2º Batalhão do 11º RI). A partir de 19 de fevereiro, o Grupo passou a cumprir missão de reforço à Artilharia Divisionária da 10ª Divisão de Montanha americana, nas operações de ataque ao Monte Belvedere, que obtiveram pleno êxito. Na mesma ocasião, cumpriu missão de apoio direto ao subsetor ocupado pelo 1º RI (Regimento Sampaio). Em 21 de fevereiro estava em apoio direto ao I/1º RI no ataque ao M. Castello, operação esta coberta de êxito, participando ainda das tomadas de La Serra e Bela Vista, nos dias subseqüentes.

Um fato importante a ser ressaltado no histórico do então Cap Fontoura foi o fatídico dia em que parte do pessoal do 11º RI abandonou suas posições, abaixando o moral da tropa de todo o Regimento por um bom tempo. Conforme BI nº 10, de 11 de janeiro de 1945, a conduta do Cap Fontoura, Oficial de Ligação junto ao 1º Batalhão do 11º RI..........”por ocasião do ataque noturno desfechado pelo inimigo, no dia 3 de dezembro de 1944, às posições desse Batalhão, na frente Km 13 da estrada Gaggio Montano – Abetaia – C. Viteline (esporão sul do Morro do Castello), merece ser ressaltada e constar de seus assentamentos. O ataque inimigo realizou-se em quatro ondas sucessivas, entre 21,30 e 4,00 horas do dia imediato. Em todas mantiveram o Grupo perfeitamente informado e esclarecido, permitindo sua ação eficaz, oportuna e no local conveniente, não obstante o intenso bombardeio por morteiros do PC e seus postos de observação. Revelaram, deste modo, atividade e capacidade no exercício das respectivas funções, mesmo sob fogo do inimigo. Demonstraram, por outro lado, perfeita noção do cumprimento de seus deveres, mantendo-se em seus postos, no exercício das suas funções até o último instante só se retirando, quando isolados e abandonados pelas Unidades em proveito das quais operavam.......Releva ainda, ressaltar porque merecida, a conduta do Cap Fontoura, chefe natural dos observadores avançados de seu Batalhão, que indo além dos deveres normais do Oficial de Ligação, mas perfeitamente enquadrado no espírito de solidariedade que une infantes e artilheiros do Brasil, prestou assistência e colaboração decidida ao Comandante do Batalhão na reorganização de sua Unidade, e no seu impulsionamento para frente, como relata o próprio comandante do Batalhão, Maj JACY, na sua Parte de Combate publicada no BI 282, de 20 Dez 1944”. Por este feito o Cap FONTOURA foi merecedor da Cruz de Combate de 2ª Classe, vindo a recebê-la posteriormente.

Recebeu ainda elogios referentes aos ataques à Montese, Montello e Montebuffone, iniciados a 14 de abril de 1945, e levadas à efeito pelo 1º Btl do 11º RI. Por fim, em suas alterações aparece seu desligamento do V Exército e do IV Corpo, a 02 de julho de 1945, e em 04 de julho sua volta ao Brasil via aérea.

Após seu regresso, permaneceu inicialmente no Rio de Janeiro, com sua esposa e seus 2 filhos.

Foi declarado Aspirante a Oficial da Artilharia, pela Escola Militar de Realengo, em 22 de novembro de 1937, chegando até o posto de Gen de Brigada, em 26 de julho 1972, tendo sido transferido para a reserva em 1º de abril de 1976.

Principais Comandos:
- Cel Cmt 1º GO 155 – 10/04/1964 a 17/05/1966
- Gen Bda Cmt 1ª DC – 15/09/1972 a 16/05/1973
- Gen Bda Cmt AD/2 – 01/06/1973 a 30/04/1974
- Gen Bda CMT AD/1- 14/05/1974 a 31/03/1976

Fez o Curso Superior de Guerra da ESG em 1971, como Coronel.
Especial agradecimento à família do General, que permitiu acesso aos documentos e a confecção deste breve artigo.


Foto 1: foto de estúdio tirada em Roma

Foto 2: alívio após o fim da guerra
Foto 3: um dos muitos deslocamentos de PC
Foto 4: com os companheiros na Defensiva de inverno, em dezembro de 1944, na neve
Foto 5: Diploma da Cruz de Combate de 2ª Classe referente à debandada do Btl do 11º RI
Foto 6: Pertences do então Cap Fontoura



9 comentários:

  1. Aí JÚLIO,
    relato fantástico do Capitão FONTOURA sobre o fato em Dez 44, pois mostrou a liderança e diversos outros atributos da área afetiva perante sua tropa.
    PARABÉNS pra ele!!!

    ResponderExcluir
  2. É verdade Lélus, o vê da Fê foi sinistro mesmo, rsrsr. Pena não vermos muito isso hoje em dia. Sua família tem que se orgulhar disso. Abç

    ResponderExcluir
  3. Linda Maria Fiorotto22 de julho de 2010 18:19

    Nossa que legal, eu conheci o Ge.Fontoura, é padrinho do meu irmão, frequentou muito a casa de meus pais.Lembro-me muito bem dele de sua esposa Dilza ( se não me engano, esse é o nome dela). Meu pai foi motorista dele na 2ª guerra e ficaram muito amigos. Minha irmã tem muitos pertences e albuns dessa época.Parabéns, trabalho bonito.

    ResponderExcluir
  4. Olá Dona Linda, muito obrigado por entrar em contato e parabéns por ter ido atrás da história de seu pai. Realmente essa era uma das intenções deste blog, o contato com familiares. Ainda bem que gostou e prepara-se que vamos fazer um artigo de seu pai também. Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Nossa Julio, que legal!! Soube que minha irmã Lindair já falou com vc e que pode ir a casa dela qualquer dia,então já combinamos que vamos pra lá encontrá-lo. Ela mora em Araras e eu em Americana, bem pertinho. Obg pelo carinho, abraço.

    ResponderExcluir
  6. Fico feliz em ver um tio avô ser reconhecido como herói de guerra !!!
    Não o conheci pessoalmente, mas sempre tive boas referncias dele como um grande homem !!!
    Que Deus o abençoe na dimensão que estiver atualmente !!!
    Francisco de Assis da Fontoura Rodrigues Filho.
    Bento Ribeiro - RJ.

    ResponderExcluir
  7. Conheci o General Fontoura na via civil; foi meu Superintendente na Nuclebrás. Homem firme em suas posições , mas de uma lealdade a seus princípios e um carater e honestidade inatacáveis. Os subordinados até o temiam, pois era um homem muito sizudo, mas quem o conheceu um pouco mais de perto, sabia que era uma pessoa educada e compreensiva com as dificuldades que surgiam no trabalho. Um exemplo para muitos homens públicos seguirem

    ResponderExcluir
  8. Algum parentesco com Ten.Fontoura , comandante da Bateria Comando do 1º Grupo de Obuses 155 mm , do qual fiz parte como soldado nº255 Barros em 1970 Deodoro -Rio de Janeiro ?
    sergio.barros55@oi.com.br

    ResponderExcluir
  9. Tive a enorme satisfação de servir sob o Comando do Gen. Fontoura na AD/2.

    ResponderExcluir